Depressão felina: saiba como ajudar o seu pet

Os gatos têm depressão? Infelizmente a depressão felina existe e pode afetar o seu amado pet, deixando-o tristinho e com outros sintomas que podem afetar a saúde. 

Mas, ao contrário dos humanos, a depressão felina não possui muitas causas, estando relacionada a um alto índice de estresse. Assim, identificar o que está incomodando o pet é o primeiro passo. 

Selecionamos alguns fatores que podem estressar os gatos, quais os sintomas da depressão felina e como ajudar o seu pet. Acompanhe a leitura! 

Leia também: Filhotes: quais vacinas o seu pet precisa


Quais os sintomas da depressão felina?

Dentre os principais sintomas da depressão em gatos, podemos citar:

  • Falta de ânimo
  • Dorme mais do que o comum
  • Rejeitar carinho e brincadeiras
  • Alteração no apetite, o que pode afetar o peso
  • Isolamento 
  • Se movimentar pouco 
  • Miar mais do que o comum 
  • Irritabilidade 
  • Fazer xixi fora do lugar 
  • Ficar arisco
  • Tristeza
  • Se lamber compulsivamente 

Devido ao alto nível de estresse, o pet quando está com depressão costuma ficar quieto, dormindo mais e se movimentando pouco. Atividades que antes o gatinho costumava gostar, como brincadeiras ou carinho, passam a ser recusadas. 

O pet tende a se isolar do tutor e membros da família, ficando no cantinho dele. O peso do pet pode diminuir, devido a pouca ingestão de ração e água.

Outro comportamento comum é a irritabilidade, se ao insistir em pegar o felino ou brincar com ele, o mesmo ficar irritado, fique atento. 

De modo geral, a alteração no comportamento de forma bruta, ou seja, intensa, é o principal alerta. Se o pet costumava ter um comportamento e passou a ter outro, fique em alerta. 

Alguns motivos podem parecer simples para nós tutores de pet, mas para o animal são sérios e estressantes. Listamos algumas situações comuns que podem irritar os gatos, elevando o nível de estresse deles. 


Possíveis causas da depressão felina

Os gatos são animais sensíveis à mudança, o que faz com que tenham fama de sensíveis à energia do ambiente e das pessoas. 

Por isso, pequenas mudanças podem ser bem significativas para esses animais, uma simples troca de móveis, mudança de lugar onde os móveis costumam ficar, já são suficientes para o gato estranhar e se sentir incomodado. 

De forma geral as mudanças costumam afetar os felinos, seja de móveis, de casa, ou de membros da família. 

A chegada de novos membros a família, seja humanos ou animais, também pode acarretar em estresse. 

Assim como a ausência de alguém da família ou pet, também pode causar depressão nos gatos.  

Ou seja, mudanças de forma geral podem gerar profundo estresse nos felinos e causar depressão. 

Além desse fator, a alimentação também pode contribuir para uma alteração no comportamento do bichano. A falta de nutrientes pode levar o gato a desenvolver depressão, por uma questão biológica. 

Outro fator que pode levar o pet a ter depressão é a solidão. Ficar muito tempo sem a companhia dos tutores ou outro pet que o gato goste, pode ser muito prejudicial à saúde. Causando tristeza e falta de ânimo. 

Por isso, ao adotar um pet, seja gato ou outro animal, se planeje diariamente para dedicar algumas horas do dia para ficar com o bichinho. Brinque, de carinho, atenção, faça companhia, o animal gosta da sua presença e sente falta de você. 

Para facilitar, listamos os principais sintomas, assim você não esquece de nenhum. 

  • Troca de móveis da casa
  • Mudança da localização dos móveis e ambientes do lar 
  • Chegada de novos pets a família 
  • Mudança dos membros da família (chegada ou partida)
  • Alimentação com falta de nutrientes
  • Solidão
  • Mudança de casa 
  • Falta de passeios 
  • Falta de carinho e atenção
  • Problemas de saúde  

O que fazer para ajudar o meu pet que está com depressão?

Duas coisas são primordiais: levar até um médico veterinário, e descobrir a causa da depressão. 

Observe quais mudanças ou acontecimentos podem ter afetado o gatinho, causando estresse e depressão. E, assim que perceber, leve o felino a uma clínica veterinária. 

Lá o animal fará todos os exames necessários e receberá o tratamento adequado, para que o quanto antes tudo fique bem. 

Além dos possíveis remédios, dar atenção e carinho ao gato é muito importante, o amor é essencial. 

Assim, cuide do seu animalzinho, troque a ração se necessário, dedique tempo para ficar com o pet, e caso seja recomendado pelo veterinário alguma medicação, de ao pet no horário e quantidade indicada. 

Aproveita e envia esse texto para os seus amigos tutores de gatinho. A informação é muito importante e evita que os animaizinhos sofram, afinal eles não falam e dependem da atenção e cuidados dos seus tutores. 

Aproveite e veja quais outros cuidados você pode ter com o seu gato, saiba mais sobre o pingente de identificação da FugaPet.